Democracia é a marca do Expresso V3

Especialistas, estudiosos, agentes de inteligência, militares, militantes de segurança de todo o país reuniram-se por três dias em Brasília para definir as prioridades de segurança para a suíte de comunicação que atenderá a administração pública brasileira, o Expresso V3.


A presidente Dilma Roussef determinou por meio do decreto 8.135/2013 que as comunicações de dados de todo o governo federal seja realizada por meio de rede e serviços brasileiros, uma das medidas de segurança que garantirá a inviolabilidade das informações governamentais.

O evento aconteceu na Esaf de 28 a 30 de janeiro, sob a promoção do Serpro, em parceria com a RedeNacionalde Segurançada Informação e Criptografia (Renasic) e a Comissão Especial emSegurançada Informação edeSistemas Computacionais (CESeg).

Na abertura do evento, o ministro da Desefa, Celso Amorim, acompanhado dos três comandantes das forças armadas brasileiras, disse que asegurançada informação marca a necessidade decooperação entre capacidadetécnica, representada pelo Serpro, academia e comunidade, e a missãodepreservar a soberania nacional. O ministro da Defesa é um dos 'patrocinadores' do Decreto.

O Expresso V3 é considerado um projetoderelevância para o Brasil no atual contexto dasegurançada informação, por isso, mantém uma comunidade ativa e permanente que trabalha sempre em torno de melhorias. No workshop de segurança do Expresso, foram mostrados os pontosdevistadosgruposdepesquisa das universidades e instituições sobre a problemática dasegurançada informação e comunicações no mundo atual. Participaram as universidades Federal de Santa Catarina (UFSC), Federal de Pernambuco (UFPE), de São Paulo (USP), de Brasília (UnB), de Campinas (Unicamp), Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), Instituto Militar de Engenharia (IME) e Empresa de Tecnologia de Santa Catarina.

Em outro momento do evento, as discussões foram segmentadas para maior aprofundamento e definição de ações prioritárias ligadas à criptografia e mobilidade, arquitetura de segurança, segurança no desenvolvimento, e homologação, produção e auditoria. Os grupos técnicos traçaram um plano de ações que será considerado no aprimoramento da ferramenta.

O evento reuniu 140 especialistas e também mobilizou uma média de 60 expectadores via streaming por dia.

 

O trabalho da comunidade de segurança do Expresso V3 não para por aí, as ações serão monitoradas e novos encontros serão agendados. 

 

Galeria de fotos

 

Download das Apresentações:

 

Vídeos

 

Programação:

  • Primeiro dia: Contextualização

    Mesa de abertura;

    Expresso V3: uma visão geral;
    Apresentação: agenda dos trabalhos;
    Apresentação das universidades. Tema: experiencia na implantação de sistemas de comunicação segura (correio eletrônico, videoconferência, voip, entre outros.)

  • Segundo dia: Grupos técnicos

    Criptografia e mobilidade: sistema moveis; cripto x auditoria, interceptação legal e aspectos de tecnologia; cripto ssl; validação da arquitetura usada no expresso; assinatura de arquivo ICP (documento).

    Segurança no desenvolvimento: assinatura de código; testes automatizados; repositório de código; pen test; API para validação de entrada/saída de dados.
    Arquitetura de segurança: seguranca ssl; ativos de seguranca; armazenamento; transmissão; virtualizacão; relay; alta disponibilidade; gestão de continuidade de negócios; metadiretorio.
    Homologação, produção e auditoria: assurance; privacidade do usuário; teste de conformidade; requisitos mínimos de produção; criptografia x auditoria, interceptação legal e aspectos de processo.

  • Terceiro dia: Consolidação das propostas dos grupos de trabalho

    Apresentação dos resultados dos grupos de trabalho

    Estruturação do documento final
    Definição dos próximos passo

Data: 28, 29 e 30 de janeiro
Horário: 9h às 17h30
Local: Escola de Administração Fazendária - Esaf - Brasília - DF