Projeto/modelo

De Wiki Expresso V3
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo

Modelo de Governança

Definição

O ExpressoV3 é uma solução completa de comunicação que reúne Email, Agenda, Catálogo de Endereços, Mensagens Instantâneas e Webconferência em um único ambiente. Seu desenvolvimento é totalmente baseado em software livre. O ExpressoV3 surgiu a partir da evolução da versão 2 do expresso baseando-se na customização da ferramenta alemã Tine20, com objetivo de prover uma solução corporativa, integrada e tecnologicamente atualizada.

Requisitos

O código deve ser escrito em inglês e sua documentação escrita em português, espanhol, inglês ou qualquer outra língua. A escrita do código deve seguir o padrão de codificação estabelecido pela comunidade, sendo que toda a contribuição terá a sua autoria reconhecida.

Licenças

O ExpressoV3 é uma versão customizada do Tine20 cuja licença é regida sob versão 3 da GNU Affero General Public License (AGPL). Todas as modificações nestes softwares só podem ser distribuídas juntamente com o software se forem licenciados por alguma licença livre e qualquer componente utilizado deve ser compatível com esta licença. Basicamente o ExpressoV3 é construído pela Comunidade Expresso Livre em concomitância com a comunidade Tine20. Os programas de computador de titularidade dos órgãos da administração pública direta e indireta estão disponíveis para uso, publicação, distribuição, reprodução e alteração.

As normas dessa liberação fazem parte do Decreto-Lei 5.111/2005, de autoria do Governo do Estado do Paraná.
As normas para utilização de software no âmbito Federal está disposta no Decreto-Lei 8.135, 
de 4 de novembro de 2013 com regulamentação na Portaria Interministerial No- 141, de 2 de Maio de 2014 do
Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Estrutura e Organização

A Comunidade Expresso Livre é constituída pela seguinte estrutura:

* CGEL – Comitê Gestor Expresso Livre
* CTEL - Comitê Técnico Expresso Livre

CGEL – Comitê Gestor Expresso Livre

O CGEL poderá ter tantos membros quantos forem necessários para dar representatividade à Comunidade Expresso Livre. Possui 2 tipos de associação:

Membros estratégicos

* Composto pelas principais organizações patrocinadoras do ExpressoV3. 
* Qualquer organização poderá pleitear uma vaga como membro estratégico no CGEL.

Membros associados

* Composto pelas organizações que tem interesse de apoiar, participar e influenciar diretamente nos rumos 
  da comunidade Expresso Livre.
* Podem participar ativamente de todas as discussões do CGEL, entretanto sem direito a voto.

Principais atribuições do CGEL

1. Prover recomendações que apontem os caminhos para onde o produto  deve evoluir e que delimitem o 
   escopo do produto como um todo. 
2. Criar, manter e terminar relacionamentos com patrocinadores e outros projetos de software livre. 
3. Atuar como elo entre a Comunidade Expresso Livre e seus patrocinadores. 
4. Representar a Comunidade Expresso Livre junto ao público em geral e a mídia. 
5. Elaborar e manter o modelo de governança, o estatuto e as diretrizes da Comunidade Expresso Livre. 
6. Buscar as fontes de recursos necessárias para dar sustentabilidade ao Expresso Livre. 
7. Promover ações de divulgação do Expresso Livre junto à sociedade. 
8. É a entidade máxima para arbitrar quaisquer questões pertinentes à Comunidade Expresso Livre 
   não resolvidas no CTEL.

CTEL - Comitê Técnico do Expresso Livre

O CTEL é composto por representantes dos patrocinadores e da comunidade. O CTEL deve ser majoritariamente composto por indivíduos com perfil técnico, ou seja, que tenham conhecimento no desenvolvimento de aplicações e nos produtos infraestruturais para as tecnologias empregadas no produto Expresso Livre.

Principais atribuições do CTEL

1. Definir o roadmap do Expresso Livre (escopo e diretrizes tecnológicas) de acordo com as 
   recomendações prescritas pelo CGEL. 
2. Definir o set de produtos infraestruturais de acordo com as recomendações prescritas 
   pelo CGEL. 
3. Responder tecnicamente sobre o produto perante a sociedade. 
4. Promover ações de divulgação do produto Expresso Livre.  
5. Definir os comitadores da comunidade. 
6. Mediar decisões que não foram resolvidas em nível das áreas de atuação. 
7. Gerir mudanças no escopo do produto Expresso Livre. 
8. Zelar pela manutenção do licenciamento livre do produto Expresso Livre.

Áreas de Interesse

Este comitê é divido nas seguintes áreas de atuação com suas responsabilidades:

1. Inovação
Responsável por avaliar, discutir e fomentar novas soluções visando manter a competitividade do Expresso Livre
frente ao mercado e propor e viabilizar mudanças estruturais do produto.
2. Segurança
Responsável por avaliar, discutir e fomentar soluções de segurança da informação para o Expresso Livre,
garantindo  o maior nível de segurança ao ambiente tanto no aplicativo quanto nos produtos de infraestrutura
que provêm os  serviços e manter todos os comitês alertados por todas os incidentes detectados e formas 
de correção.
3. Teste
Responsável por avaliar, discutir e fomentar soluções e metodologias para a realização dos testes no produto,
participar de todas as fases do ciclo de vida da construção de uma nova versão e realizar todos os testes 
necessários para garantir a conformidade do produto construído.
4. Infraestrutura
Responsável por avaliar, discutir e fomentar soluções de infraestrutura para os serviços do Expresso Livre 
e manter a arquitetura funcional do ambiente proporcionando escalabilidade e contingenciamento garantindo a
confiabilidade e robustez do produto.
5. Qualidade
Responsável por avaliar, discutir e fomentar soluções que busquem garantir a qualidade do produto Expressov3.
6. Comunicação
Responsável pela imagem do produto Expresso Livre perante o seu público. Com envolvimento em eventos, divulgações,
mídia e publicidade.
7. Mobilidade
Responsável por avaliar, discutir e fomentar soluções de mobilidade para o produto e integrar o Expressov3
com a maior parte das soluções móveis de mercado.

Níveis de participação

A determinação do nível de participação de uma pessoa ou organização segue o modelo da meritocracia, ou seja, quanto maior a contribuição, maior será a probabilidade de alcançar níveis de participação com maior poder de decisão. Da mesma forma, se a participação de um membro não é satisfatória para um determinado nível/papel, então ele inevitavelmente perderá espaço dentro do projeto. O reconhecimento do mérito será estabelecido pela comunidade de cada nível de atuação seguindo os princípios democráticos. A Regra Estágios de Contribuição Técnica define os estágios a serem cumpridos para que os membros técnicos da comunidade se habilitem ao papel de Coordenador da Comunidade, conforme especificado a seguir.

1. Regra Estágios de Contribuição Técnica

Para conquistar o direito a exercer o papel de Coordenador da Comunidade, um membro técnico deverá seguir o seguinte percurso:

 Nível 1: Desenvolvedor ou Participante de Fórum de Infraestrutura;
 Nível 2: Comitador ou Membro do Laboratório de Infraestrutura;
 Nível 3: Líder de uma das áreas de atuação;
 Nível 3: Coordenador da Comunidade.

Todas as regras existentes e aquelas a serem criadas deverão ser publicadas conforme disposto na seção Requisitos.

2. Descrição dos perfis

2.1. Comitador

Tem como atribuição implementar no produto Expresso Livre as decisões tomadas pelo Comitê Técnico, o que implica em incorporar, modificar ou retirar funcionalidades/características do produto. Cabe-lhe também a escrita e a liberação de versão no repositório de versionamento. Idealmente, a equipe de comitadores (desenvolvedores-núcleo) deve ser multiorganizacional. Para fazer parte desta equipe um indivíduo e/ou uma organização, deve:

 -Ser reconhecida pela comunidade por conhecer e praticar a filosofia de desenvolvimento e promoção do software
  livre;
 -Usar o produto Expresso Livre em projetos reais e em andamento;
 -Ter atuado na comunidade como desenvolvedor;
 -Ter feito pelo menos uma contribuição significativa, na condição de desenvolvedor, para a melhoria e evolução 
  do produto ExpressoV3.

Um comitador poderá deixar a equipe de comitadores por vontade própria, ou por deixar de atender a algum dos critérios que o credenciaram a integrar a equipe.

2.2. Desenvolvedor

Indivíduo especializado, com conhecimento para alterar o código-fonte do produto Expresso Livre. Não tem poder para modificar diretamente o repositório, podendo incorporar, modificar ou retirar funcionalidades/características do produto apenas através de um Comitador, ou pelo envio de patches para o fórum da comunidade.

2.3. Membro do Laboratório de Infraestrutura

Com atribuição de implementar no produto Expresso Livre as decisões tomadas pelo Comitê Técnico, o que implica em incorporar, modificar ou reestruturar a arquitetura de produtos que provêem a solução de infraestrutura do produto. Idealmente, a equipe de Membros do Laboratório de Infraestrutura deve ser multiorganizacional. Para fazer parte desta equipe uma pessoa e/ou organização, deve:

-Ser reconhecida pela comunidade por conhecer e praticar a filosofia de desenvolvimento e promoção do software 
 livre;
-Usar o produto Expresso Livre em projetos reais e em andamento;
-Ter atuado na comunidade como Participante do Fórum de Infraestrutura;
-Ter feito pelo menos uma contribuição significativa, enquanto Participante do Fórum de Infraestrutura, para a 
 melhoria e evolução do produto ExpressoV3.
-Prezar pela escalabilidade, interoperabilidade e alta disponibilidade da solução arquitetural.

Um Membro do Laboratório de Infraestrutura poderá deixar a equipe por vontade própria, ou por deixar de atender um dos critérios que o credenciaram a integrar a equipe.

2.4. Participante do Fórum de Infraestrutura

Indivíduo e/ou organização com conhecimento nos produtos de infraestrutura do produto Expresso Livre. Capaz de propor melhorias, alterações, correções e arquiteturas-modelos visando a escalabilidade, interoperabilidade e alta disponibilidade para a solução. Para ser membro do Laboratório de Infraestrutura basta assinar o fórum de discussão.

2.4.1. Líder de Área de Interesse

Indivíduo responsável por gerenciar, acompanhar e ser o facilitador dos projetos em sua área de interesse. Deve, frequentemente, posicionar o Coordenador da Comunidade quanto ao andamento dos seus projetos. Para fazer parte desta equipe o indivíduo deve:

-Ser reconhecido pela comunidade por conhecer e praticar a filosofia de desenvolvimento e promoção 
 do software livre;
-Usar o produto Expresso Livre em projetos reais e em andamento;
-Ter atuado na comunidade como Desenvolvedor, Participante de Fórum de Infraestrutura, Comitador 
 ou Membro do Laboratório de Infraestrutura;

Um Líder de Área de Interesse poderá deixar a equipe por vontade própria, ou por deixar de atender um dos critérios que o credenciaram a integrar a equipe.

2.5. Colaborador

É um usuário especializado que tem como missão avaliar e propor alterações no produto ExpressoV3. Não tem o poder de alterar o código, mas faz um trabalho de proposição, triagem e compilação de proposições de novas funcionalidades e/ou alterações de funcionalidades existentes. Participa das listas de discussão e demais canais de comunicação da Comunidade Expresso Livre. É um usuário testador, que executa testes nas versões beta e provê feedback para a equipe de desenvolvedores sobre os erros e as dificuldades encontradas. Pode colaborar pontualmente em patches do produto ExpressoV3 que seja de seu interesse.

2.6. Usuário

Pessoa e/ou organização que usa o produto Expresso Livre, mas que não tem comprometimento com o ciclo de vida do produto. É também um usuário testador, que executa testes nas versões beta e provê feedback para a equipe de desenvolvedores sobre os erros e as dificuldades encontradas. É a principal fonte de identificação de erros no produto ExpressoV3, reportando-os para correção. Este papel é quem dá visibilidade e sustentabilidade à comunidade.

2.7. Público

Toda a sociedade, principalmente aquelas pessoas e organizações interessadas no uso do produto e em soluções de software livre.

2.8. Patrocinador

Entidade ou organização que colabora com o desenvolvimento do produto e da comunidade Expresso Livre. Uma organização para ser considerada patrocinadora deve ser reconhecida pelo CGEL por disponibilizar recursos significativos no projeto. Um patrocinador não tem nenhum poder de influência e de direcionamento do produto, a não ser aquela emanada das pessoas que o representam na estruturas formais da comunidade. O Comitê Gestor é a instância que tem o poder de aceitar e desligar um patrocinador da comunidade.

2.9. Membros

2.9.1. Individual

Indivíduo que atua individualmente na comunidade sem representar nenhum grupo, instituição ou organização.

2.9.2. Organização

Instituição ou entidade que tem interesse em participar na comunidade. Uma organização participa na comunidade através do trabalho das pessoas por ela alocadas. O desempenho de um papel e o nível de atuação de uma organização na comunidade segue o mesmo modelo da meritocracia, ou seja, depende do conjunto da atuação das pessoas designadas para participar como seus representantes. Uma organização aumentará ou diminuirá o seu grau de influência nas estruturas formais da comunidade em função da atuação dos seus designados. Os membros organizacionais participam normalmente das atividades como indivíduos, ou seja, assumem responsabilidades e tarefas individuais. Mesmo que haja mais de um membro organizacional em um grupo da comunidade, a organização continuará tendo apenas um voto nas tomadas de decisão. Este voto deverá ser obtido do consenso entre os membros alocados pela organização às atividades. A organização pleiteará, através dos seus membros individualmente, os papéis e níveis de atuação em que deseja participar. Estes membros serão aceitos e mantidos conforme a sua capacidade individual de desempenhar esses papéis. A organização que desejar substituir um de seus membros terá que submeter o substituto ao processo e regras de aceite definidos pela comunidade.

3. Descrição dos papéis

3.1. Coordenador da Comunidade

Membro do CGEL, eleito pelos comitadores e outros líderes técnicos da comunidade. Pode representar uma organização, ou um grupo de pessoas, e tem como papel ser o facilitador e organizador das atividades do CTEL o qual ele representa no CGEL.

3.2. Desenvolvedor

Responsável pela escrita do código do produto Expresso Livre.

3.3. Membro do Laboratório de Infraestrutura

Prospecta e testa soluções de infraestrutura.

3.4. Participante do Fórum de Infraestrutura

Discute e opina sobre soluções de infraestrutura através de participação no fórum específico.

3.5. Documentador

Elabora os vários tipos de documentação que acompanha do produto Expresso Livre.

3.6. Tradutor de código

Traduz e cria arquivos de recursos de texto, que são utilizados pelo código, para uma determinada linguagem.

3.7. Tradutor de documentação

Traduz os textos de documentação não vinculados a código, como sites, artigos, manuais, dentre outros, para um determinado idioma.

3.8. Suporte

Indivíduo apto a responder à comunidade, sobre dúvidas e esclarecimentos a respeito do uso do produto Expresso Livre.

3.9. Apoiador

Canal de referência da Comunidade Expresso Livre com o mundo, com conhecimento sobre o produto ExpressoV3, seus elementos, sua estrutura e aplicabilidade. Deve ter conhecimento sobre o ciclo de vida do produto e sobre o funcionamento da Comunidade Expresso Livre, de forma a está habilitado a fazer palestras, apresentações e reuniões iniciais para a obtenção de informações sobre o produto. Deve também realizar divulgação do produto em congressos, seminários, revistas etc. Não é necessário que tenha conhecimento de detalhes sobre a implementação do produto ExpressoV3, mas deve conhecer os elementos arquiteturais utilizados, bem como aqueles que não foram utilizados, para poder posicionar as decisões na adoção, ou não, destes elementos.

3.10. Ouvidor

Canal de comunicação com a comunidade, participando ativamente dos canais de comunicação virtuais, como listas, e-mails, fóruns etc., para garantir que nenhuma mensagem fique sem resposta ou sem ser encaminhada para a instância responsável pela mesma. Neste caso, cobra a resposta para encaminhamento ao emissor da mensagem.

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Ferramentas